A Vigilância Sanitária de Sumé em conjunto com a Polícia Militar da Paraíba realizaram neste domingo (17), inspeções em vários pontos da cidade e na zona rural, com o objetivo de evitar a chegada do coronavírus no município.

Um trabalho de abordagem, busca e investigação está sendo desempenhado por uma equipe da Vigilância, composta atualmente por cinco fiscais. Esse número, segundo Ricardo Morato, coordenador do órgão, começou com dois profissionais e a tendência é que chegue a 12 pessoas para dar vazão às demandas.

Na ação desse domingo (17), foram realizados procedimentos de proteção, educação sanitária e busca em alguns bares da cidade e na zona rural, que segundo denúncias da imprensa local, esses estabelecimentos comerciais estariam funcionando sem a devida permissão.

Ricardo ainda informou que na ação desse domingo foi detectado uma feira de verduras não autorizada, nas proximidades da Praça Adolfo Mayer. Os seus proprietários, oriundos de Alagoa Nova, foram orientados a deixar o local imediatamente.

A Vigilância Sanitária tem intensificado também a identificação de pessoas que chegam à cidade de Sumé vindas de outras regiões do país. De acordo com o decreto municipal, essas pessoas são obrigadas a ficarem de quarentena em casa no período de 14 dias, sob o acompanhamento da Vigilância Epidemiológica do Município.

Ricardo acrescentou que esse trabalho de prevenção tem sido muito importante para evitar o contágio da doença. Ele falou também sobre a distribuição de máscaras para a população que eles realizam durante essas abordagens.

Dando continuidade às ações, nessa segunda-feira (18), alguns pontos de educação sanitária serão instalados na cidade para orientar a população sobre os cuidados relacionados ao coronavírus, a exemplo da demarcação de piso para sinalizar o distanciamento nos locais de grande circulação de pessoas, a exemplo de agências bancárias e correspondentes bancários.

No que concerne à Polícia Militar, além de cumprir o decreto estadual, nesses locais, a PM acaba fazendo outras diligências que não estão relacionadas diretamente com a proteção ao Covid-19, à medida que, conforme suas prerrogativas, encontre irregularidades isoladas comuns a algum tipo de crime.

Ricardo destacou ainda que o apoio da população e a parceria da imprensa tem ajudado muito para consolidação desse trabalho de enfrentamento a Covid-19, com denúncias, informações de pessoas que chegam de outras cidades entre outras causas.

Ascom PMS