O professor do Centro de Desenvolvimento Sustentável do Semiárido (CDSA) da Universidade Federal de Campina Grande – UFCG, Rafael Trindade Maia (biólogo), líder dos grupos de pesquisa “Biologia Computacional e Teórica” e “Bioinformática, reposicionamento de fármacos e demais estratégicas para enfrentamento da Covid-19” está realizando com uma equipe multidisciplinar, estudos para seleção de fármacos que possam ser utilizados como antivirais para o novo coronavírus.

Em dezembro de 2019 surgiu uma pandemia ocasionada pelo novo coronavírus que se tornou a maior preocupação dos órgãos de saúde e autoridades no mundo inteiro. Por se tratar de uma doença nova e emergente não existem vacinas nem medicações específicas para o tratamento da Covid-19. Cientistas do mundo inteiro estão numa corrida incessante para encontrar fármacos que possam ser utilizados no tratamento da doença.

Participam da pesquisa os professores doutores Franklin Ferreira de Farias Nóbrega (vice-líder/Farmacêutico), Glauciane Danusa Coelho (bióloga), Bruno Medeiros Roldão de Araújo (educador físico) todos do CDSA/UFCG. Também contribuem para a pesquisa, colaboradores de outras instituições, como os químicos computacionais, professor Agrinaldo Jacinto do Nascimento Júnior (Instituto Federal de Brasília), professora Daniela Nadvorny (Instituto Pernambucano de Ensino Superior) e o professor Juan Gonçalves (Departamento de Farmácia/UFPB). Além destes, participam da pesquisa a biotecnóloga Msc. Luana Camila Cordeiro Braz e o estudante de mestrado em Física Rafael de Lima Medeiros (UFAL).

A pesquisa foca em simulações computacionais, como o docking molecular e a dinâmica molecular, assim como métodos quânticos. Nestas simulações o objetivo é encontrar substâncias que interajam com proteínas-alvo do vírus Sars-Cov-2 com potencial para inibição viral. Dentre os compostos que apresentaram melhores resultados até o momento, destaca-se o mentol e o 4-terpeniol (monoterpenos), que apresentaram um potencial de inibição da enzima NSP9, uma proteína indispensável para replicação do vírus. Diversos outros compostos estão sendo estudados pela equipe a exemplo do antiviral Telbivudina e o antiparasitário Ivermectina. Os compostos que apresentarem maior potencial de inibição viral serão triados para ensaios experimentais da toxicidade e da ação antiviral em laboratório.

Assimp CDSA/UFCG